Hoje é:

  Blogue diário Notícias do Pedal,tudo sobre bicicletas em: revistanoticiasdopedal.blogspot.pt -»  Clique...
 

Estatuto Editorial | Ficha Técnica | Apresentação | Galeria Multimédia | Contactos
 
 
 
Ciclismo
 
 

“Seleção Nacional/Iúri conquista título com corrida à campeão”

Por: José Carlos Gomes
Iúri Leitão conquistou o título europeu de scratch, na corrida de encerramento do programa deste sábado do Campeonato da Europa de Pista, que decorreu em Munique, Alemanha.
O corredor português teve um desempenho exemplar, sabendo interpretar o pulsar da corrida para atacar nos momentos certos, de forma a chegar à medalha de ouro. O scratch é uma corrida sem pontos nem sprints intermédios, vence o primeiro a cortar a meta na última volta ou aquele que consiga dobrar o pelotão mais vezes.
A corrida tinha 75 voltas (15 quilómetros) e iniciou-se em ritmo vivo, mas sem qualquer ataque. A 60 voltas do fim deu-se uma cisão, ficando o pelotão partido em dois, com o representante de Portugal na parte de trás. Esta movimentação haveria de ser anulada dez voltas mais adiante. Nesse momento, quando parte do pelotão acusava algum desgaste devido àquele ataque infrutífero, Iúri Leitão mexeu na corrida.
O vianense saiu do pelotão a 49 voltas do final, conseguindo dobrar o grupo cinco voltas depois, colocando-se de imediato em vantagem. Como era o único corredor com mais uma volta, era o virtual vencedor.
As movimentações foram-se sucedendo, sempre com o português atento, mas nenhuma resultou em nova volta de vantagem para qualquer concorrente. Lendo novamente a corrida na perfeição, o português passou novamente ao ataque e sentenciou a corrida quando faltava cerca de um terço das voltas totais para o final. A partir daí tratou-se apenas de gerir a vantagem adquirida para, no final, comemorar a conquista do título.
“Trabalhámos muito para estarmos ao mesmo nível das outras seleções. Estávamos cientes de que poderíamos conquistar o título, mas chegar à final e levar a medalha desta forma é um sentimento muito forte, uma felicidade imensa. Tentei resguardar-me na fase inicial da corrida. Reparei que os principais favoritos estavam a marcar-se de forma bastante cerrada. A perseguição ao grupo que saiu foi feroz e, nessa altura, tentei resguardar-me. Passei um pouco despercebido e logo de seguida ataquei. Apercebi-me da hesitação dos principais candidatos, até porque vinham um pouco mais desgastados. Foi a altura certa para atacar”, conta Iúri Leitão, referindo-se ao momento-chave da corrida.
A prestação do português foi tão superior à concorrência que Iúri Leitão foi o único ciclista a dobrar o pelotão, ainda por cima em dose dupla. Nas restantes posições do pódio colocaram-se o alemão Moritz Malcharek e o neerlandês Roy Eefting.
“Esta corrida foi um momento fantástico de ciclismo. Estou muito orgulhoso com a corrida do Iúri Leitão. Ele esteve irrepreensível. Tínhamos consciência de que a prova seria muito difícil, devido ao elevado nível dos atletas presentes. O Iúri interpretou e aplicou na perfeição os princípios que definiríamos para esta prova. O resultado foi o que todos vimos: uma corrida exemplar que coroou campeão da Europa o melhor em pista”, afirma o selecionador nacional, Gabriel Mendes.
A alegria proporcionada pelo triunfo de Iúri Leitão compensa, de certa forma, a desilusão pelo afastamento injusto de Daniela Campos da prova de eliminação. Um erro dos comissários fez de Daniela Campos a segunda ser eliminada na verdade, foi a representante espanhola a passar em último nessa volta de eliminação.
Foi dada indicação à corredora portuguesa para sair de pista, através do dispositivo eletrónico colocado na bicicleta e do aviso sonoro no velódromo. Quando Daniela Campos já estava em descompressão, os comissários tentaram emendar o erro, tentando dar indicações à portuguesa para voltar à prova, mas não o fizeram de forma percetível para a ciclista nem através do sistema sonoro, pelo que Daniela Campos acabou, por erro alheio à corredora, na 16.ª posição.
Numa prova marcada por duas quedas, uma das quais com alguma gravidade, a medalha de ouro sorriu à belga Lotte Kopecky, seguida pela britânica Pfeiffer Georgi e pela Neerlandesa Mylene de Zoete.
Daniel Dias estreou-se em Campeonatos da Europa de elite com o 14.º lugar na perseguição individual. O corredor português cumpriu o contrarrelógio de 4 quilómetros em 4’22’’428, dentro do objetivo traçado pelo selecionador nacional: fazer menos de 4m25s. “Não me senti totalmente confortável, ainda podia ter feito melhor dois segundos", considera Daniel Dias. "Há detalhes a melhorar, mas esteve muito bem para a estreia nesta disciplina em Campeonatos da Europa de Elite", assegura Gabriel Mendes.
Fonte: Federação Portuguesa Ciclismo

 
  Estatuto Editorial | Ficha Técnica | Apresentação | Galeria Multimédia | Contactos
Revista Notícias do Pedal

 

Copyright © 1999 a 2022 - ® Revista Notícias do Pedal - Todos os Direitos Reservados
Este site está optimizado para ser visualizado em 1347x533