Hoje é:

  Blogue diário Notícias do Pedal,tudo sobre bicicletas em: revistanoticiasdopedal.blogspot.pt -»  Clique...
 

Estatuto Editorial | Ficha Técnica | Apresentação | Galeria Multimédia | Contactos
 
 
 
Triatlo
 
 

“Europeus'2022: Vasco Vilaça assume "dia menos bom" e elogia João Pereira”

Vice-Campeão do Mundo de triatlo em 2020 lamenta as dificuldades que sentiu no percurso de natação

Por: Lusa
Vasco Vilaça, vice-campeão do Mundo de triatlo em 2020, assumiu este sábado um "dia menos bom" no 13.º lugar dos Europeus de Munique, valorizando a sexta posição de João Pereira na ambição de Portugal para Paris'2024.
"Embora tenha tido um dia menos bom, tal como o Ricardo Batista e o João Silva (lesionados, falharam a prova), para a equipa é sempre o melhor resultado que conta. Estamos cá para nos ajudarmos uns aos outros e estou muito feliz pelo sexto lugar do João Pereira", justificou.
João Pereira acabou em sexto, regressando assim ao projeto olímpico do Comité Olímpico de Portugal, para o segundo nível de bolsa, enquanto Vasco foi 13.º e Miguel Tiago Silva concluiu em 28.º: João Silva ressentiu-se de uma lesão num tendão e não competiu, tal como Ricardo Batista, que teve uma queda aparatosa na bicicleta.
"Fico muito feliz por ver o meu colega João fazer uma prova excelente, um sexto lugar que lhe permite agora entrar nas WTS e nas Taças do Mundo, uma oportunidade de Portugal lutar pelas três vagas nos Jogos Olímpicos", frisou.
Vasco enalteceu o valor da "equipa muito forte" de Portugal, que inclui ainda João Silva, Ricardo Batista e Miguel Tiago Silva.
O antigo campeão da Europa júnior e 'youth' reconheceu que hoje teve um "inicio de prova muito complicado, num percurso de natação muito agressivo com muitas boias e curvas" e do qual saiu já com 01.05 minutos de atraso, depois de se ter "embrulhado" com outros atletas e ficado "preso" entre adversários.
O atleta recordou que, juntamente com os colegas de treino, forçou a aproximação ao grupo de 12 fugitivos, contudo, o melhor que conseguiram foi juntar-se a um pelotão intermédio, até abandonarem a ideia de baixar o cerca de um minuto de atraso para os comandantes.
"Comprometi na natação, mas estou muito feliz com o que fiz no ciclismo. Na corrida foi uma luta mental para ter o meu ritmo, encontrar a velocidade que queria meter e estar assim os 10 quilómetros. Com um minuto de atraso, era complicado apanhar os primeiros...", assumiu.
Já Miguel Tiago Silva, 28.º, diz ter-se sentido "bastante bem" na natação e na bicicleta, partindo para a corrida final na cauda do agregado de 12 elementos, que tinha cerca de 50 segundos de avanço.
"Senti-me bastante bem na natação e na bicicleta, mas depois, quando desmontei, começou a dar-me cãibras nas pernas ao parar e calçar as sapatilhas. Fui cinco quilómetros com cãibras. Perdi algumas posições, contudo, depois senti-me melhor e comecei a recuperar. Estava à espera de mais, porém estou contente", assumiu.
O triatleta disse sentir-se "bastante bem" no grupo da liderança, junto ao "chefe da seleção" João Pereira, um "monstro", porém o problema físico impediu-o de "desenvolver": resta-lhe agora a "motivação" para continuar a trabalhar.
Fonte: Record on-line

 
  Estatuto Editorial | Ficha Técnica | Apresentação | Galeria Multimédia | Contactos
Revista Notícias do Pedal

 

Copyright © 1999 a 2022 - ® Revista Notícias do Pedal - Todos os Direitos Reservados
Este site está optimizado para ser visualizado em 1347x533