Estatuto Editorial  ●  Ficha Técnica  ●  Links  ●  Calendários  ●  Galeria Multimédia  ●  Contactos


Ciclismo


“Alejandro Valverde amplia estatuto na Flèche Wallonne”
Vence pela quarta vez consecutiva

 

Por: Lusa
Foto:
EPA
Alejandro Valverde (Movistar) consolidou o estatuto de lenda na Flèche Wallonne, ao vencer pelo quarto ano consecutivo, e pela quinta vez na sua carreira no Muro de Huy.
Recordista de triunfos na primeira das 'clássicas' das Ardenas, o veterano espanhol ampliou ainda mais o seu registo, atacando no momento exato para erguer os braços, pelo quarto ano consecutivo, no cume do intrincado Muro de Huy, e relegar o irlandês Daniel Martin (Quick-Step Floors) para a segunda posição e o belga Dylan Teuns (BMC) para a terceira.
Perto dos 37 anos, Valverde, que cumpriu os 204,5 quilómetros entre Binche e Huy em 05:15.37 horas, igualou o recorde de pódios (15) nas 'clássicas' das Ardenas detido até hoje em exclusivo por Eddy Merckx e tornou-se no segundo ciclista mais vitorioso de sempre no cômputo Flèche Wallonne - Liège-Bastogne-Liège, ficando a apenas dois triunfos do recorde do 'gigante' belga (10).
'El Bala', que ganhou a 'clássica' belga pela primeira vez em 2006 e hoje festejou efusivamente a vitória exibindo uma 'manita', deixou que os seus adversários se esgotassem com ataques infrutíferos, fazendo valer o seu conhecimento da subida para arrancar em força, deixar toda a concorrência a um segundo e eclipsar o intenso trabalho da Quick-Step Floors.
A equipa belga esteve perto da vitória, por intermédio de Bob Jungels, que se lançou na frente da corrida a 28 quilómetros da meta, para alcançar o combativo Alessandro de Marchi (BMC), que tinha atacado na passagem da Côte de Cherave, e se isolou a 13 quilómetros do final.
O campeão luxemburguês ainda entrou sozinho no Muro de Huy, mas os 20 segundos de vantagem foram insuficientes para aguentar a perseguição dos 'tubarões' do pelotão e a inclinação da subida, com Jungels a ser apanhado já dentro do último quilómetro.
E foi aí que Valverde se lançou, a 200 metros da meta, para a décima vitória da temporada no WorldTour -- é apenas o sexto ciclista a consegui-lo, entre janeiro e abril, desde 2000 -- e que o português Rui Costa (UAE Team Emirates) perdeu o contacto com os homens da frente, acabando na 31.ª posição, a 37 segundos do espanhol.
Na sua estreia na primeira das 'clássicas' das Ardenas - a segunda, a Liège-Bastogne-Liège, disputa-se no domingo -, Ruben Guerreiro (Trek-Segafredo) foi 43.º, a 54 segundos do vencedor, com o seu colega André Cardoso a ser 74.º, a 02.09 minutos.
Fonte: Record on-line


 

Revista Notícias do Pedal


Estatuto Editorial  ●  Ficha Técnica  ●  Links  ●  Calendários  ●  Galeria Multimédia  ●  Contactos

Copyright © 2017 - ® Revista Notícias do Pedal - Todos os Direitos Reservados
Este site está optimizado para ser visualizado em 1598x690